Wednesday, August 15, 2007

cântico negro

Nas férias há tempo para viver, de forma intensa, o que não se consegue ao longo do resto do ano. Por isso, e porque todas as rotinas se alteram,é mais difícil manter o blogue actualizado.

Já há uns dias que ando a pensar neste poema, de José Régio, na voz sublime de Maria Bethânia, que não resisto a partilhar.

2 comments:

José Alberto Mostardinha said...

Olá:


... gostei muito...

xinhos :-)

Diana said...

De facto não faz mt sentido irmos por caminhos já, por alguem, percorridos.
Quando à nossa frente nos aparecerem os abstáculos, aqueles pelos quais esse alguem, após ter percorrido o seu caminho soube ultrapassar, nós/eu não vou saber o que fazer para os transpôr pois até aí nada precisei de saber para percorrer um caminho já descoberto...