Tuesday, July 31, 2007

uma noite para comemorar



Esta é só uma noite para partilhar
qualquer coisa que ainda podemos guardar
cá dentro num lugar a salvo para onde correr
quando nada bate certo
e se fica a céu aberto
sem saber o que fazer

Esta é só uma noite para comemorar
qualquer coisa que ainda podemos salvar
no tempo um lugar pra nós onde demorar
quando nada faz sentido
e se fica mais perdido
e se anseia pelo abraço de um amigo

Esta é só uma noite para me vingar
do que a vida foi fazendo sem nos avisar
foi-se acumulando em fotografias,
em distâncias e saudade numa dor
que nunca acaba e faz transbordar os dias

Esta é só uma noite para me lembrar
que há qualquer coisa infinita como firmamento,
um sorriso, um abraço
que transcende o tempo
e ter medo como dantes de acordar
a meio da noite a precisar de um regaço

Mafalda Veiga

sem palavras


Gustave Klimt, Mãe e filho
O amor também se faz de silêncio...

Monday, July 30, 2007

música de filme





Tiago Bettencourt e Dalila do Carmo, Música de filme.

Para o João, que ficou fascinado com esta versão desta música, encantado com a voz da Dalila. E porque com o João partilho muitos momentos bons e muitas, muitas gargalhadas...

E para ti. Porque "és sitio onde as mãos se dão"...

henry lee



lá lá lá lá lá lá lá lá lá li

lábios e lábios


Andy Warhol, Lábios

Entre os teus lábios
é que a loucura acode,
desce à garganta,
invade a água.

No teu peito
é que o pólen do fogo
se junta à nascente,
alastra na sombra.

Nos teus flancos
é que a fonte começa
a ser rio de abelhas,
rumor de tigre.

Da cintura aos joelhos
é que a areia queima,
o sol é secreto,
cego o silêncio.

Deita-te comigo.
Ilumina meus vidros.
Entre lábios e lábios
toda a música é minha.

Eugénio de Andrade

epigrama teológico


José Cutileiro

Concordo com Delmore Schwartz:
"uma mulher nua é uma prova da existência de Deus".
Podia dizer: uma prova suficiente. Apenas
o indispensável para que a dúvida se dissipe,
e o grande cenário do Paraíso se abra
em écran gigante e som estereofónico (sim:
os anjos cantam por cima disto).

Nuno Júdice

Sunday, July 29, 2007

respira

Cá está mais uma daquelas músicas que me marcam a vida. Esta é daquelas que me está mesmo no coração. Transmite-me as melhores sensações e dá-me as melhores memórias. Sabe bem, fazer a autoestrada entre a Costa Nova e Aveiro, de manhã cedo, com o volume do rádio do carro no limite do audível, com o contaquilómetros no limite do possível ( muito, muito, ilegal...).
Ouçam. Bem alto. Fechem os olhos.
Para ouvir e sentir...

amigos




Cabril, Gerês

Tenho alguns amigos maravilhosos.
Há pessoas que entram na nossa vide e nunca mais saem. Que constroem casas no nosso coração e lá ficam, para sempre.
Daqui a dois dias vou sair, em liberdade plena, com onze desses amigos. Vou acampar (numa tenda mesmo, a dormir num saco cama no chão...), pela primeira vez na minha vida. Para um sítio paradisíaco, com pouca gente, em contacto com a natureza.
Vamos viver natureza. E vamos, sobretudo, viver cinco dias juntos. Para matar as saudades que um ano inteiro de afastamento nos deixam. O que significa que vamos viver-nos, em pleno, uns aos outros. Vamos caminhar muitas horas, rir muito e dormir muito menos. Vamos dizer disparates até não poder mais, vamos cozinhar em conjunto refeições muito "completas e equilibradas", vamos ouvir silêncio e ouvir-nos uns aos outros.
Vamos cantar desafinado, as canções que todos sabemos de cor, vamos encher o coração de nós, ou seja, de coisas muito boas.
Vamos dizer muitas lamechices, abraçar-nos muito e chorar... Vamos mostrar uns aos outros, na forma que cada um sabe, que é sempre a melhor forma, que nos amamos...
E que bem sabe a perspectiva disso tudo que vai acontecer...

luz



Edward Hopper, Quarto sobre o mar



Ela tinha medo que tudo se perdesse. Que ela própria se perdesse. Por isso deixou a porta aberta. Assim podia sempre entrar a luz. E, lá fora, o mar é muito mais azul...

Thursday, July 26, 2007

saberás





Henri Matisse, Nu

Saberás que não te amo e que te amo
pois que de dois modos é a vida,
a palavra é uma asa do silêncio,
o fogo tem sua metade de frio.

Amo-te para começar a amar-te,
para recomeçar o infinito
e para não deixar de amar-te nunca:
por isso não te amo ainda.

Amo-te e não te amo como se tivesse
nas minhas mãos a chave da felicidade
e um incerto destino infeliz.

O meu amor tem duas vidas para amar-te.
Por isso te amo quando não te amo
e por isso te amo quando te amo.

Pablo Neruda, in Cem Poemas de Amor

Wednesday, July 25, 2007

josé cid

José Cid. Esta pérola da música portuguesa, tem momentos dignos de serem guardados para a posteridade...
Confesso aqui, publicamente, a minha admiração por esta personagem, que é tal que estou inscrita, com o número 28, na AAGJC, Associação de Apoio ao Grande José Cid.
Foi uma decisão muito difícil, muito pensada e estudada. Tomei-a, depois de ver publicadas numa revista, fotografias desta estrela, sem roupa, em poses... menos próprias. Não consigo, por motivos que se tornarão óbvios para quem vir a fotografia, colocá-la à vista de toda a gente. Remeto-vos para outro endereço onde a poderão ver.
Aqui, fica um momento de magia...

lindo!

Não há dia que não me surpreenda com as minhas pesquisas na internet... mas esta foi mesmo muito boa... ora vejam lá se não é lindo...

dúvida...





Quem nos deu olhos para ver os astros
Sem nos dar braços para os alcançar?!...


Florbela Espanca

Tuesday, July 24, 2007

botero


Estava a faltar cor no meu espelho. Claro que a música transmite um colorido diferente. Mas faltava-me imagem... E se o post anterior se refere a uma dança, por que não colorir a dança? Fernando Botero é um pintor colombiano, nascido em 1932, que em 1950 foi para Madrid estudar pintura, tendo depois percorrido outras escolas da Europa. A sua pintura é caracterizada por figuras de tamanho exagerado, celebrando a vida, nas mais variadas situações. Por aqui deixo alguns exemplos... da dança...




dança

Há alturas da nossa vida, em que, mesmo sem querer, nos tornamos transparentes. Tão transparentes que, mesmo as pessoas que menos nos conhecem, conseguem adivinhar-nos, ler-nos, perceber o que andamos a sentir.
Um dia, alguém que me conhecia pouco, disse-me que sempre que ouvia a Dança, de Polo Norte, se lembrava de mim. Hoje lembrei-me disso. E cá vai a dança...


Monday, July 23, 2007

baila comigo

Hoje foi dia de me sentir em liberdade.
Sozinha, num final de manhã fresca, com o céu carregado de nuvens, mesmo como eu gosto, fui tomar um café a uma esplanada na praia.
O mar, um pouco revolto, e a praia, cheia de gaivotas e sem gente, consequência da chuva da noite. Estes são os dias em que a vida sabe diferente. O melhor de todos os sabores é o da praia deserta. Porque tem o sabor das memórias que queremos ter. Por isso tem o sabor que lhe quisermos dar.
E estava eu, a olhar o mar, embrenhada no meu encantamento, quando me lembrei da Rita Lee, que cantava Baila Comigo, quando eu era adolescente.
E lá dei por mim, a trautear para dentro:

Banho de Sol,
banho de Sol...
Ah... se Deus quiser,
um dia acabo voando...
lálálálálálálá...

Então decidi procurar uma versão da música para ouvir e partilhar.
E encontrei uma original, dos anos oitenta, ainda gravada em VHS, que pode ser vista aqui.
Mas encontrei outra versão, de uma beleza que a maturidade reconhece, sente e abraça. Pena que lhe falte um pouco, no fim. Mas cá está. Para ver, ouvir e sentir...


Ora digam lá, se não é lindo...

chuva



Gustave Caillebotte, Chuva


Ouço a chuva
bater nos vidros.
E o vento,
agita as árvores
e sussurra-me,
num murmúrio
que me invade
todos os poros:
estou aqui.
Quem me dera fosses
vento,
chuva,
tempestade...
Que estivesses tu aí...
que das tuas mãos
chove saudade...

Sunday, July 22, 2007

liberdade à chinesa





"Na China funciona o sistema de filtro cibernético mais avançado, poderoso, tecnologicamente sofisticado e de maior alcance do mundo", segundo um relatório recente do OpenNet Iniciative. Um sistema de filtros altamente sofisticado pode bloquear simultaneamente 500000 servidores de Internet, deixar algumas partes de um site acessíveis enquanto bloqueiam outras e fazer desaparecer alguns e-mails. A vigilância tecnológica existe a par com a humana: milhares de funcionários do estado controlam o tráfico cibernético e dentro em breve serão colocados 800 controladores de Internet em cybercafés. Um decreto de 1996 obriga todos os clientes de um servidor a apresentarem-se a uma comissão de controlo no prazo de 60 dias a partir da data de inicio do contrato e um novo regulamento obriga a que todos os estrangeiros que pretendam usar Internet o façam identificando-se através do seu número de passaporte.
E quem ajuda nesta poderosa inibição de liberdade cibernética? As empresas ocidentais desesperadas por fazer negócios com a China: Firewalls e sistemas de filtragem são fornecidos pela American Cisco Systems, enquanto os utilizadores de Internet chineses que queiram criar um blogue num site hospedado pela empresa americana Microsoft, são informados de que "democracia", "direitos humanos", e "Tiananmen" são exemplos de linguagem proibida e aconselhados a encontrar uma alternativa, através da mensagem automática "Esta mensagem contém uma expressão proibida: por favor apague essa expressão."

Fonte: revista Colors, nº 65

poema


Egon Schiele

Quero escrever-te um poema que
Tenha um sentido claro como o
Que os teus olhos me disseram.

Poderia ser um poema de amor,
tão breve como o instante em
que me deixaste ver os teus olhos.

Mas o que os olhos dizem não cabe
Num poema, nem eu sei como se diz
o amor que só os olhos conhecem.

Nuno Júdice

Saturday, July 21, 2007

a letra de Deus


William Blake, O ancião dos dias

A letra de Deus nem sempre á decifrável e ninguém conhece a língua em que escreveu a alma humana. Às vezes, a gente julga que as palavras chegam para esclarecer a vida mas, hoje, estou certo de que muitas coisas permanecem por detrás de palavras que ainda não foram feitas e outras, por detrás de palavras de que perdemos o uso.
(...)
Tudo me leva a crer que as marcações que nos deram para o desempenho da vida passam ao lado do caminho por onde os nossos afectos continuam a fluir conforme o que está escrito no mapa oculto do ser humano. Pressinto que continuamos fora do essencial e que as razões das circunstâncias - que, muitas vezes, são poderosas e reais - só servem para nos afastar dos enigmas que estão à frente das coisas e que nos caberia decifrar. Porque, algumas vezes, até parece que a simplicidade emana do andamento da vida e que bastaria um pequeno gesto de espírito para passarmos para o lado de lá de tantas incomodidades que nos fazem viver como se tivéssemos calçado dois números abaixo da forma da alma.
(...)

António Alçada Baptista, in "O Riso de Deus"

Thursday, July 19, 2007

encosta-te a mim


(...)

Tudo o que eu vi, estou a partilhar contigo
o que não vivi, hei-de inventar contigo
sei que não sei, às vezes entender o teu olhar
mas quero-te bem, encosta-te a mim
(...)

Jorge Palma

em sossego...


Henri Matisse

Ela ficava a olhá-lo.
Ele, com um traço de sorriso breve e exausto no rosto. Parado, a respirar. E a sorrir…
E ela a olhá-lo. Até lhe apetecia tocar-lhe. Bastava estender um pouco os dedos… Ele, ali, a milímetros do toque…
E ela só a olhá-lo, a reter os dedos, a travar o gesto... enquanto travava o tempo.
Aquele era o momento em que ela tinha a certeza de o amar. Em que sentia o sossego de o amar. E nada mais importava…

Wednesday, July 18, 2007

esfera



Por sinal, essa esfera que me tentava sem me olhar,
Nada mais era do que um som
Que me levava a tentar fugir de ti… sair de ti…
Uma vez mais, sem saber porquê,
Desisti para te dizer:
Não dá mais, quero mais…
Se não for assim,
Esconde esse sorriso que me faz querer matar por mais!
Mais, mais…
Quero mais…
Mais, mais…
Por isso esconde esse sorriso que me faz querer matar por mais…
Só assim dá para mim conseguir que não doa mais,
Que me deixes ir,
Que me libertes de ti, que não me faças sentir,
E eu não quero cair, não me posso entregar
Sem que percebas que não podes julgar,
E eu quero tentar, poder acreditar
Que o aperto cá dentro
Um dia vai acabar,
E o monstro em mim, não irá sucumbir,
Não desfalece por não conseguir
Que olhes para mim, que me faças existir,
Por isso esconde esse sorriso que me faz querer matar por mais…
Mais, mais...

Pedro Khima


andy warhol



Andy Warhol

Monday, July 16, 2007

1000

O espelho dos sentidos teve já 1000 visitas. Curiosamente, o milésimo visitante foi também o primeiro...Coincidências, ou talvez não...
Hoje vou deixar-vos um momento de humor. Daqueles que nos marcam a vida. É uma pequena parte de um filme genial, que me fez rir muitas vezes, quer ao vê-lo, quer na partilha de memórias cruzadas, com pessoas que o sentiram como eu senti... E hoje apetece-me rir.
O filme chama-se "O Sentido da Vida", dos Monty Python.
Para desanuviar...

Sunday, July 15, 2007

DATA






DATA (debt, AIDS, trade, Africa) é uma organização dedicada a erradicar a pobreza extrema e a SIDA em África. Fundada pelo cantor dos U2, Bono, por Bobby Shriver e outros activistas, DATA convida os governos das nações mais ricas do mundo a manter os compromissos que já têm com África e a adoptar novas políticas de comércio e na prevenção de SIDA, de modo a que os africanos possam pôr-se num trajecto que leve à prosperidade e à estabilidade a longo prazo.
(Saiba mais em http://www.data.org/).

...



Sidney Goodman, Água


Podes atar-me as mãos e os pés, prender-me, não me deixar sequer mexer.
Tapar-me a boca, impedir-me de falar, de manifestar opinião.
Mas o que eu penso nada segura.
Nem a censura, nem a tua ditadura...

U2 liv(r)e em Santiago

Andava à procura de uma música para partilhar hoje. E no meio da minha pesquisa encontrei este vídeo. Não é a versão mais bonita, musicalmente falando, de um dos temas de que mais gosto. Mas tem uma mensagem ainda maior...Não vou dizer mais nada. Está lá tudo... É só ver...

Saturday, July 14, 2007

face a face


Francisco Clemente,Gémeos

Entendamo-nos: falar de ti e dos teus olhos de garça enevoados seria talvez tão vulgar como enumerar as coisas simples e nisso não há qualquer desafio.
Existe apenas uma razão íntima, como a de quem não gosta de se repetir ou de estar de costas voltadas para o mar, amando o imprevisto como um sinal de alarme.
Também, falar de mim, poderia tornar-se perigoso, se me virasse para dentro, habitando a minha memória e não a memória de todos os meus dias.
(...)

Joaquim Pessoa

Friday, July 13, 2007

deus

Voltei a acreditar em Deus no dia em que vi escrita a seguinte frase:
"Deus é 'O' amor".

liberdade de expressão


"Gerhard Haderer, A última ceia"


"The Life of Jesus" é um livro ilustrado, onde, de uma forma bem humorada, Jesus é tratado como um amigo de Jimi Hendrix, que bebe bastante, faz surf nu e fuma cannabis.
O seu autor é Gerhard Haderer, cartoonista austríaco, que foi condenado a seis meses de prisão por um tribunal grego, após a queixa, por parte de um bispo ortodoxo, de que os seus desenhos eram insultuosos para a religião. O julgamento iniciou-se em Dezembro de 2003 e terminou em 18 Janeiro de 2005. Haderer ficaria sujeito a prisão se voltasse a entrar na Grécia. Em 15 de Abril de 2005, um tribunal de recurso retirou a condenação por blasfémia.
Foram boas notícias e uma vitória para a liberdade de expressão

Thursday, July 12, 2007

liberdade de imprensa



"É dificil dizer o que significa exactamente liberdade de imprensa, sendo mais fácil - e, parece-nos, mais urgente - fazer o levantamento dos casos em que é violada e lutar contra isso."

Robert Ménard, Secretário Geral da Repórteres Sem Fronteiras



Foi feito, pela Repórteres Sem Fronteiras, o ranking mundial da liberdade de imprensa.
A classificação dos países foi baseada em 52 critérios, que incluem: o número de jornalistas mortos, presos, ameaçados ou expulsos; existência de censura; inexistência de meios de comunicação independentes; presença de limitações para jornalistas estrangeiros; existência de um estado monopolizador da rádio, da televisão; desrespeito pelos princípios de confidencialidade das fontes de informação e controlo da internet.
Portugal está em 25º lugar, o que significa que é dos países mais livres do mundo.
Para ser perfeito, devia, claro, ser o primeiro. Algumas coisas poderão, certamente melhorar. Mas não está tão mal quanto alguns o pintam...

Baseado na revista Colors, nº 65

liberdade

Tenho andado a pensar no post que li no blogue Estados Gerais.
Porque fala de liberdade em várias formas. Da liberdade de imprensa, da liberdade de opção religiosa, da liberdade da escolha da educação, da liberdade de expressão...Fala de liberdade.
Achei que comentar o post não bastava, uma vez que é um dos meus assuntos mais queridos.
Vou escrever também alguma coisa sobre o tema... Ou várias coisas, em vez de só uma...
Nunca é demais falar de um valor tão importante e que tantas vezes se confunde com coisas muito menos nobres.
Entendemos, por exemplo, que ao abrigo da liberdade podemos dizer tudo o que nos apetece, como queremos e sobre quem queremos. Mas esquecemo-nos de que, se ao fazê-lo, ferimos a sensibilidade ou até a dignidade de alguém, ao que fazemos já não podemos chamar liberdade.
"A minha liberdade termina quando colide com a do meu vizinho!"
Não sei de quem é a frase. Mas há muitos anos que a ouço...

Wednesday, July 11, 2007

Tuesday, July 10, 2007

o amor


Edvard Munch, O Beijo


O amor é grande e cabe nesta janela sobre o mar.
O mar é grande e cabe na cama e no colchão de amar.
O amor é grande e cabe no breve espaço de beijar.

Carlos Drummond de Andrade

irrepetível


Chagal, Aniversário

(...)
Todos os momentos são irrepetíveis. No entanto, as pessoas reparam com mais facilidade na forma como não se podem repetir aqueles momentos que tocam a perfeição- em que até a imperfeição (qualquer pequena imperfeição) é perfeita. Nós éramos/somos humanos e, depois deste momento, foi isso que achámos acerca daquele momento, que tinha sido prefeito e irrepetível.
(...)
José Luís Peixoto, em Hoje Não

Monday, July 9, 2007

"rechaud"


As conversas entre os homens podem ser bastante... elucidativas.
Numa estação de serviço, encontraram-se dois amigos a fazer o pagamento da gasolina. A conversa foi rápida, como deve ser nestas circunstâncias. Mas os meus ouvidos foram atingidos pela frase seguinte:
- As mulheres têm de se convencer de que um homem deve ser mantido num "rechaud"!
Estou sempre a aprender...

ju

Há músicas que associamos a pessoas. Porque as ouvimos juntos, ou porque a letra lembra um momento passado, ou porque nos fazem sentir alguma coisa especial. Sempre que ouço Avril Lavine em Keep Holding On, a imagem que tenho é da minha amiga Juliana. Esta música é a coragem e a determinação da Juliana. E a confiança que tenho nela.



Sunday, July 8, 2007

Live Earth



Milhões e de pessoas em todo o Mundo participaram no evento, que arrancou com uma mensagem de Al Gore a partir de Washington, sobre a defesa do meio ambiente e que é mais um alerta para as alterações climáticas.
Os concertos iniciaram-se na Austrália, às 0h de 07/07/07, acabando só 24h depois, e passaram por cidades como Londres, Nova Iorque, Rio de Janeiro, Hamburgo, Joanesburgo, Xangai, Tóquio, colocando o mundo inteiro na mesma sintonia.
A música ou as estrelas pop têm uma capacidade massiva de mobilização,que pode e deve ser aproveitada, a favor de causas ambientais como o aquecimento global.
Lisboa também se juntou ao evento, com um concerto no Pavilhão Atlântico.
Nunca é demais chamar a atenção para a necessidade de preservação da Terra.


confuso

"Deste modo a gengivite corresponde à inflamação do periodonto superficial, sendo assim o primeiro estádio da doença, que precede sempre a doença peridontal embora que nem sempre uma gengivite pode levar sempre a uma peridontite."

Esta frase faz parte de um trabalho final de estágio de um curso que não vou identificar. Também não vou identificar o seu autor. Por motivos que não é necessário explicar...

almourol


Há pouco mais de um ano fiz, com alguns amigos, uma descida de canoa no Tejo, entre Constância e Tancos, com paragem no Castelo de Almourol.
Este monumento, para mim, vai ser sempre uma maravilha, embora tenha ficado de fora das sete maravilhas nacionais.
Porque a ele associo a maior de todas as maravilhas. O riso.
As gargalhadas partilhadas, reflectidas nessa tarde nas águas do Tejo.
Os gritos de alegria, no silêncio da natureza e a felicidade espelhada no riso.
E de cada vez que um caía à àgua, todos riam. E ríamos dos disparates, das brincadeiras e das tolices. Refilávamos uns com os outros pelas travessuras e ríamos… Ríamos do cansaço, por os braços doerem e não sermos capazes de remar… Ríamos porque estávamos juntos. Porque é assim a amizade.
Por tudo isto, a cada imagem de Almourol, o que me salta sempre à memória é o som daquela tarde… o som das gargalhadas, do riso e mais riso… o som do amor sentido ali…

Saturday, July 7, 2007

pontes entre nós

Acabei de ouvir o último album de Pedro Abrunhosa e os Bandemónio, Luz. Algumas das músicas são muito bonitas. E, tal como é hábito em Pedro Abrunhosa, as letras são poemas que vale a pena ler...


Eu tenho o tempo,
Tu tens o chão,
Tens as palavras
Entre a luz e a escuridão.
Eu tenho a noite,
E tu tens a dor,
Tens o silêncio
Que por dentro sei de cor.


E eu, e tu,
Perdidos e sós,
Amantes distantes,
Que nunca caiam as pontes entre nós.


Eu tenho o medo,
Tu tens a paz,
Tens a loucura que a manhã ainda te traz.
Eu tenho a terra,
Tu tens as mãos,
Tens o desejo que bata em nós um coração.

E eu, e tu,
Perdidos e sós,
Amantes distantes,
Que nunca caiam as pontes entre nós


Pedro Abrunhosa

filtro solar

Hoje fui à praia.
Sabe bem estar estirada ao Sol, sentir o calor, a invasão da preguiça.
Sabe bem ler a ouvir o mar, a sentir o cheiro do mar...
É difícil encontar outro lugar onde me sinta tão bem, que me faça tão bem...
E hoje, enquanto punha o protector solar (que é cada vez mais indispensável) lembrei-me deste pequeno vídeo, que há já algum tempo um amigo me enviou.
Aqui está. Para ver, ouvir e sentir. E também para aprender

Thursday, July 5, 2007

começo


M. C. Escher, Ligação


Podia começar por qualquer momento porque todos os momentos foram o começo deste instante.Porque se tirasse algum deles, toda a torre de momentos acumulados se desmoronaria e, agora, este instante aqui, seria o topo exacto da torre e cairia a maior queda. Todos os começos são imprencindíveis.


Jose Luís Peixoto, in Hoje não

Wednesday, July 4, 2007

abraço



Gustave Klimt, O abraço

Ela vem da rua. Traz o vento no cabelo.
Estico-me para um beijo e sinto ainda
o frio no seu rosto. Depois beijo-lhe os lábios, que estão sempre mornos, mesmo
que se gele lá fora.
Sorri. Sorri sempre. E sorri com o rosto todo, sorri
com o corpo todo, sorri inteira como se toda ela fosse felicidade.
Pede-me
que a abrace. E eu abraço, levemente… Depois, mais tarde, deixo que ela mergulhe
no meu abraço… Mergulhamos, então, um no outro…
O tempo parece parar.

arrumações


Kandinsky, Pleasures

Hoje tomei uma decisão importante.
Decidi arrumar o que andava por cima das mesinhas de cabeceira no meu quarto. Os livros e as revistas. Quando arrumo as leituras, arrumo também um bocadinho o meu sótão interior. E está mesmo a precisar de organização…
Por lá andavam cinco números da “Colors”, quatro números da “National Geographic”, um Dicionário de Língua Portuguesa e outro de Inglês-Português, “O Cemitério de Pianos”, de José Luís Peixoto, “A Profecia Celestina”, de James Redfield, “O Tecido do Outono”, de Alçada Baptista, “A Conspiração”, de Dan Brown… Destes, deixei os dicionários, e o resto arrumei.
Mas ainda ficaram por lá algumas obras que vou lendo, relendo, misturando… e que me vão enchendo de coisas boas: “Assim Falava Zaratustra”, de Nietzsche; “Siddhartha”, de Hermann Hesse; “O Riso de Deus”, de Alçada Baptista; “De Amor e de Sombra”, de IsabelAllende e “Hoje não”, de José Luís Peixoto.
Como não me bastava o que já tinha por cá, fui à Biblioteca Municipal e trouxe “O Movimento do Mundo”, de Nuno Júdice.
Ainda estou um bocadinho desalinhada. Mas sabe bem assim…

Tuesday, July 3, 2007

energias renováveis em acção

"Vai ser inaugurado, no próximo dia 5 de Julho, 5ª feira , pelas 11h30min, na Escola Secundária com 3ºciclo da Gafanha da Nazaré, o Projecto Energias Renováveis em Acção.
Este projecto consiste na utilização das energias renováveis (solar e eólica) para a produção de energia eléctrica que é utilizada na rede eléctrica da Escola.
Insere-se na missão pedagógica e de formação do "saber ser" e "saber estar" da Escola, incutindo e sensibilizando os alunos e a comunidade, de uma forma geral, para a importância do aproveitamento e utilização das energias renováveis, aspectos que assumem cada vez mais relevância na nossa sociedade, dada a sua dependência em termos energéticos. "

Num tempo em que cada vez mais se fala na necessidade de utilização de energias renováveis, é necessário que alguns eduquem actuando. Bom exemplo.

Monday, July 2, 2007

tão perto...



Dali, Figura à janela


Gosta de se pôr à janela, para olhar o mar.
Nesses momentos sente-se gaivota, repousada, imóvel, em silêncio.
Abandona-se à imensidão do mar. Todo, tão perto...
No rosto lê-se a brisa fresca e a leve maresia.
Ainda quieta, parte dela, calmamente, voa.
Neste mar deposita os sonhos.
E, olhando, começa a mergulhar…

Sunday, July 1, 2007

milagres



Há duas formas para viver a sua vida:
Uma é acreditar que não existem milagres.
A outra é acreditar que todas as coisas são um milagre.

Albert Einstein

bastava-nos amar



José Afonso Furtado, Salgados, 1992

Bastava-nos amar. E não bastava
o mar. E o corpo? O corpo que se enleia?
O vento como um barco: a navegar.
Pelo mar. Por um rio ou uma veia.

Bastava-nos ficar. E não bastava
o mar a querer doer em cada ideia.
Já não bastava olhar. Urgente: amar.
E ficar. E fazermos uma teia.

Respirar. Respirar. Até que o mar
pudesse ser amor em maré cheia.
E bastava. Bastava respirar
a tua pele molhada de sereia.
Bastava, sim, encher o peito de ar.
Fazer amor contigo sobre a areia.

Joaquim Pessoa